segunda-feira, 25 de março de 2019

Terrorista protegido por Lula confessa os assassinatos


Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
O terrorista italiano Cesare Battisti, extraditado do Brasil após décadas de impunidade, confessou os assassinatos que cometeu na década de 1970, quando fazia parte do grupo Proletários Armados pelo Comunismo. 



Ouça: 


Battisti foi condenado na Itália em 1993, mas, após uma série de fugas, instalou-se no Brasil, onde gozou da impunidade com a proteção do ex-presidente Lula. Após o Supremo Tribunal Federal permitir sua extradição, o ex-presidente Lula impediu que o terrorista fosse enviado à Itália. 

Leia também: 
URGENTE: Últimas notícias do Governo Bolsonaro e momentos mais importantes de viagem ao Chile
Trump publica vídeo sobre a relevância e a oportunidade histórica de encontro com Bolsonaro


Apenas no final do ano passado, o terrorista foi enviado à Itália, após mais uma fuga. Battisti foi preso em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. 

O presidente Jair Bolsonaro comentou a confissão feita por Battisti e ironizou os partidos de esquerda que o consideravam um exilado político. Bolsonaro disse: “Battisti, ‘herói’ da esquerda, que vivia colônia de férias no Brasil proporcionada e apoiada pelo governo do PT e suas linhas auxiliares (PSOL, PCdoB, MST), confessou pela primeira vez a participação em 4 assassinatos quando integrou o grupo terrorista Proletários Armados pelo Comunismo. Por anos denunciei a proteção dada ao terrorista, aqui tratado como exilado político. Nas eleições, firmei o compromisso de mandá-lo de volta à Itália para que pagasse por seus crimes. A nova posição do Brasil é um recado ao mundo: não seremos mais o paraíso de bandidos!”. 

Veja também: 








Correio do Poder
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...