quarta-feira, 4 de abril de 2018

Levy Fidelix desmente jornalistas e parabeniza o jornal O Estado de S. Paulo: 'Parabéns por restabelecer a verdade dos fatos!'


Imagem: Produção Ilustrativa / Correio do Poder
O pré-candidato à presidência, Levy Fidelix, criticou uma matéria jornalística do jornal O Estado de São Paulo, que afirmava que seu partido, o PRTB, estaria tentando atrair deputados durante a janela partidária, com 8 milhões em caixa: "naturalmente, não podíamos deixar de procurar a redação do jornal. Eu queria saber por que essa fantasia de alguém. Eu e meu partido temos dado exemplo nacional de estar fora de toda essa porcaria que os demais partidos vêm perpetrando contra o povo brasileiro. O jornal deve ter sido um pouco açodado quando fez essa matéria, mas hoje o jornal se retratou".


Fidelix explica que o fundo eleitoral do PRTB "não passará de 3 e poucos milhões: um terço é para as mulheres, um terço para a candidatura presidencial, 15% para senadores, sobrariam 40 e poucos por cento para o país inteiro. Isso é quinquilharia". E questionou: "Por que vocês não puderam honestamente fazer um comparativo com PMDB, com 205 milhões, PSDB com 165 milhões, PP com mais de 100 milhões? Até o Podemos tem mais de 30 e tantos milhões, porque tem a lei a seu favor, pois puderam fazer com que a lei se efetivasse na data que os parlamentares pertenciam ao partido e não ao começo da legislatura. Aliás, isso foi um crime contra a nação brasileira, porque tiraram tempo de televisão de todos os partidos. Nós perdemos 30 milhões em direito de antena; tínhamos 10 minutos por semestre por estado, mais 10 minutos em todo o país. Isso poderia ser visto antes de fazerem essas ilações. De qualquer modo, meus agradecimentos à Coluna do Estadão por restabelecer a verdade".

O presidente do PRTB criticou também a colunista do jornal Zero Hora, que disse que o PRTB assedia deputados federais oferecendo foro privilegiado. "Quero saber onde está a oferta! O SMS dizia assim: 'PRTB - blindagem e garantia de sua eleição'. Blindagem significa um partido limpo, correto; blindagem contra as coisas ruins, mesmo porque não aceitamos perfis de pessoas que não merecem ser candidatos em nome do povo. E garantida a eleição porque os senhores terão um partido limpo, correto, que vai fazer de 15 a 20 deputados federais, mais de 40 deputados estaduais, 3 governadores, alguns senadores, e eu Presidente da República. Não sei de onde a senhora tirou esse assédio". Fidelix exigiu uma retratação da jornalista. 

Leia também:
Ex-presidente do STF defende a prisão após condenação em segunda instância e o fim do foro privilegiado
Desembargador relator da Lava Jato alerta para reações contra operação


Veja também:





Correio do Poder
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...