domingo, 9 de julho de 2017

Fidelix antecipou delação de Palocci ao apontar relação promíscua de PT, PMDB e PSDB com bancos


Imagem: Produção Ilustrativa
As notícias indicam que o ex-ministro Antonio Palocci deve envolver os grandes bancos em sua delação premiada. O presidente do PRTB, Levy Fidelix, lembra que já avisava sobre a influência deletéria dos bancos na campanha presidencial de 2014, quando foi candidato. Assista ao vídeo:






Em debate na campanha eleitoral de 2014, Levy Fidelix enfatizou os problemas dos impostos excessivos e das dívidas com os bancos. 

Em relação aos impostos, Fidelix disse: "O brasileiro, quando sai de casa todos os dias, não sabe, mas será assaltado três vezes no mínimo. Ele sai para as ruas, na primeira esquina que passa e come uma pizza, está sendo assaltado, porque 33% da pizza é imposto. Se entra em um supermercado idem, compra os alimentos, e é o Estado que o assalta. Se comprar um carro, vai pagar três vezes mais pelo carro. Se ele entra num banco, aí vai ser assaltado eternamente; nunca mais sai dessa dívida". 

Leia também: 
Bolsonaro explica por que 'os políticos e a grande imprensa odeiam os militares' e causa polêmica; veja vídeo
Senadora explica projeto que acaba com a indicação política de ministro do STF e pede apoio da população; veja vídeo
Palocci diz que Mantega fez central de venda de informações para bancos
'A sociedade está vigilante, apoiando o trabalho do juiz Sergio Moro', afirma senadora Ana Amélia sobre mudanças na Lava Jato
Álvaro Dias ataca Temer: 'É um desgoverno. Vemos que é um presidente sem qualquer credibilidade'
Sogro de filha de Fachin é chefe em empresa da família Batista
Dirceu volta a operar nas sombras
Maduro ordena que servidores públicos votem em Constituinte


Fidelix lembra que, em 2014, avisou sobre o problema dos bancos: "O grande predador social é o banco. Não adianta querer resolver os problemas do Brasil sem antes resolver essa questão de dívida para com os bancos. São 654 bilhões de reais por ano que temos que pagar para bancos. Os grandes candidatos são representantes de banqueiros e sonegadores. É um absurdo o povo brasileiro não ter dinheiro para comprar alimentos, não ter dinheiro para a saúde e a educação, enquanto eles estão mancomunados com os banqueiros. O país está quebrado, deve 2 ou 3 trilhões de reais. Não é possível continuarmos assim. Temos que fazer auditoria na nossa dívida, ou o brasileiro não vai descansar".


Veja também: 

 
 




Leia também:
Gilmar Mendes é hostilizado pela população ao sair de evento na FIESP; veja vídeo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...