quarta-feira, 20 de setembro de 2017

'Boa notícia para quem defende a Liberdade de Expressão!', afirma Delegado após Exército confirmar que não punirá o General Mourão

Imagem: Produção Ilustrativa / Correio do Poder
O delegado da Polícia Federal e deputado Fernando Francischini comemorou a declaração dada pelo Comandante do Exército, general Villas Boas, confirmando que não punirá o general Hamilton Mourão. O general Mourão afirmou que o Exército pode agir se o Judiciário cumprir o seu papel. Para o deputado Francischini, é uma "boa notícia para quem defende a Liberdade de Expressão". 

'Assino embaixo da fala do General Mourão', destaca Janaína Paschoal: 'Se o crime tomou conta do país, alguém tem que defender a Constituição Federal'

Imagem: Produção Ilustrativa / Correio do Poder
A jurista Janaína Paschoal defendeu o general Hamilton Mourão e a possibilidade de uma intervenção quando a corrupção toma conta dos poderes. Janaína mencionou o julgamento do TSE, em que os ministros decidiram ignorar uma miríade de provas contra a chapa Dilma-Temer, e apontou que o STF poderia fazer o mesmo com a Lava Jato. Lembrou também das denúncias de que a operação Castelo de Areia pode ter sido enterrada com a participação do STJ. Janaína explica: "Se o crime tomou conta do país, alguém tem que defender a Constituição Federal. Foi isso que disse o Gen. Mourão. Eu assino embaixo".

Comandante do Exército frustra políticos que pressionaram por punição a Mourão e o elogia: 'Um grande soldado. Uma pessoa fantástica'

Imagem: Produção Ilustrativa / Correio do Poder
Após o general Hamilton Mourão afirmar que o Exército deve agir se o Judiciário não cumprir seu papel, muitos políticos pediram sua cabeça. Em entrevista ao jornalista Pedro Bial, entretanto, o Comandante do Exército, general Villas Boas, afirmou que não haverá punição e elogiou o general Mourão: "Um grande soldado. Uma pessoa fantástica".

'A democracia representativa que vivenciamos está se tornando um fiasco', ataca General Rômulo Bini

Imagem: Produção Ilustrativa / Correio do Poder
O general Rômulo Bini Pereira, em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo, criticou o surgimento de uma nova "lei"  que se acrescentou à famosa "Lei de Gerson". A nova lei é a do "Não Estou Nem Aí" e é amplamente aceita no meio político brasileiro. Entre os exemplos, o general menciona que, chamado a fazer uma reforma política, o parlamento brasileiro se concentra em criar um fundo com recursos públicos para distribuir aos partidos para suas campanhas. O General conclui: "A democracia representativa que vivenciamos está se tornando um fiasco. Ela não atende aos anseios do povo brasileiro, mas aos interesses e benesses individuais e de grupos situados no poder. Como asseveram analistas políticos, 'estão de costas para o Brasil', uma comprovação da 'Lei Nena' ou da 'de Mirko'”.

'As pedradas no General Mourão são elogios, mostram como está rica de frutas a árvore do Exército', referencia General Paulo Chagas

Imagem: Produção Ilustrativa / Correio do Poder
O general Paulo Chagas manifestou seu apoio ao general Hamilton Mourão, que afirmou que o Exército deve agir caso o Judiciário não cumpra seu papel. O general Paulo Chagas reproduziu um comentário: "Ninguém atira pedras em árvores que não tem frutas! Como o Exército é a ÚNICA instituição com credibilidade e poder, qualquer movimento dos seus ramos provocam reações proporcionais, não ao seu balanço, mas à sua potência. Moral da história: As pedradas [no Gen Mourão] são elogios, mostram como está rica de frutas a árvore".

'Pela primeira vez desde que estreou na carreira política, Gleisi teve uma grande ideia', diz Augusto Nunes

Imagem: Reprodução / Veja
O colunista Augusto Nunes, da revista Veja, ironizou a proposta da senadora ré e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, que afirmou que o PT pode boicotar as eleições de 2018. Para o colunista, a proposta "merecia ser anunciada com estardalhaço e festejada com fanfarra e foguetório". E conclui: "Pela primeira vez desde que estreou na carreira política, Gleisi teve uma grande ideia. Merece o aplauso unânime dos democratas, além do apoio incondicional de todo brasileiro com mais de 20 neurônios".

'General falar em aplicação da lei a imprensa ataca, presidente da CUT dentro do palácio fala em pegar em armas, SILÊNCIO!', diz Carlos Bolsonaro

Imagem: Produção Ilustrativa / Correio do Poder
O deputado estadual Carlos Bolsonaro chamou a atenção para a diferença de tratamento de setores da imprensa, que perdoam qualquer coisa vinda da extrema-esquerda mas exigem a mais estrita adesão à lei quando se trata de alguém do outro lado do espectro político. Carlos Bolsonaro lembrou que não houve tanta indignação nem tantos pedidos de punição imediata quando o presidente da CUT ameaçou pegar em armas:  "General falar em aplicação da lei a imprensa ataca, presidente da CUT dentro do palácio diz pegar em armas, SILÊNCIO". 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...